terça-feira, 31 de dezembro de 2013

COOCERQUI - Tender


Tender
FD001162

Ingredientes:
1 tender de bolinha
1/2 xícara de Coca-Cola
1/2 xícara de calda de abacaxi
1/2 xícara de vinho branco
1 xícara de KARO ou similar
12 cravos.

Modo de fazer:
1-Pegue o tender e faça cortes diagonais nos dois sentidos.
2-Besunte bastante com o KARO .
3- Espete os cravos entre os cortes.
4- ponha no forno bem quente e vá regando com a mistura da calda de abacaxi, Coca-Cola e o vinho. Quando dourar esta pronto!
Sirva com fios de ovos e cerejas , ou rodelas de abacaxi douradas na manteiga.


Sanduíche de Tender  


ingredientes


  • Pão sírio ou pão de sua preferência
  • Folhas de rúcula
  • Fatias grossas de tender
  • Caponata de legumes ou qualquer outro recheio que preferir
  • Queijo mussarela em lascas

modo de preparo


  1. Abra o pão de sua preferência
  2. Coloque as lascas de Queijo Mussarela
  3. Depois adicione a Caponata de legumes ou qualquer outro recheio de sua preferência
  4. Coloque as fatias de Tender e posteriormente a Rúcula
  5. Sirva num prato
  6.  

    Salada de tender light

     

     Ingredientes

    200 g de tender
    150 g de abacaxi
    10 g / 1 colher sobremesa de uvas-passas
    10 g / 1/4 de maço de salsinha
    1 colher de sopa de suco de limão
    1 colher de sopa de azeite
    sal e pimenta-do-reino a gosto
    Modo de Preparo
    1. Numa tábua, corte o tender em fatias de 1 cm, as fatias em tiras de 1 cm e essas tiras em cubos. Reserve.

    2. Descasque o abacaxi: comece cortando a coroa e a base; apoie a fruta numa tábua e corte a casca de cima para baixo. Em seguida, fatie em rodelas de 1 cm e pese até completar 150 g. Corte as rodela em tiras de 1 cm e estas em cubos.

    3. Lave e seque muito bem a salsinha sob água corrente. Retire as folhas dos cabinhos.

    4. Numa tigela, junte os cubos de tender e os de abacaxi com as folhas de salsinha. Acrescente as uvas-passas e os temperos restantes. Misture muito bem e sirva a seguir.


segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

Respingos - Sanduiche de mentirinha


Não se iluda. Isso não é fotografia de um sanduíche natural!

 A renderização é o processo pelo qual pode-se obter o produto final de um processamento digital e tem sido muito usada na preparação de fotos de pinturas realísticas, que hoje em dia virou meta para alguns artistas. Recentemente o site Cuded.com publicou um resumo de desenhos realísticos feitos a lápis, que intitulou de "Sopro da Mente". A repercussão foi imediata, com muita gente gostando do trabalho. Este artigo vai apresentar-lhe uma coleção de 30 melhores pinturas realísticas de 15 artistas contemporâneos que tem seus trabalhos apresentados na rede. Espero que gostem!
 
Até a próxima postagem. Fui!

quarta-feira, 25 de dezembro de 2013

terça-feira, 24 de dezembro de 2013

COOCERQUI - Perú de Natal






     
Peru de Natal – duas versões:
Conforme consta na literatura há centenas de anos, os europeus deixavam a porta de sua casa aberta no dia de Natal para que os peregrinos e viajantes entrassem e, junto com a família, confraternizassem nesse dia. Daí o porquê de o Natal ser uma data festiva entre amigos e familiares. E o prato mais clássico servido nessa ocasião é o peru. O consumo dessa ave se originou nos EUA. Lá, o peru é um prato tradicionalmente servido no Dia de Ação de Graças, uma data muito importante para os americanos, e essa tradição veio para o Brasil. Os índios americanos já criavam perus antes de ocorrer a colonização inglesa. Durante a colonização, os índios serviram peru para comemorar a primeira grande colheita, e assim surgiu o hábito de consumir peru para celebrar datas importantes.
O peru natalino é uma tradição dos Estados Unidos, onde a ave também aparece com destaque durante o Dia de Ação de Graças (Thanksgiving). O costume de servir peru em ocasiões especiais começou numa época em que não havia carne à venda no mercado e as vacas eram muito mais úteis vivas, trabalhando na agricultura e produzindo leite, do que mortas. A carne do peru era macia e suculenta, barata e suficiente para alimentar grandes famílias, muito comuns naquela época. Assim, os perus se tornaram um prato nobre e ao mesmo tempo acessível, já que comê-lo não representava grandes prejuízos para as famílias que viviam no campo. A tradição de servir o peru assado foi depois exportada para a Inglaterra e para o resto do mundo.

peru
Há quem diga que Natal não é Natal se não tiver peru, e em muitos casos há quem goste do sabor da ave, mas não gosta por achar a carne seca demais. O mesmo é dito sobre o pernil.
É pura questão de matemática, quanto mais tempo fica no forno mais seco fica o assado, e isso não é exclusividade do peru ou pernil, vale pra pães, bolos, tortas, enfim, tudo o que vá ser feito no forno.
Quando o peru avisa que está pronto, o que se faz? Retira-se o papel alumínio e deixa no forno mais um tempo, para que possa dourar, fica realmente muito mais bonito, mas resseca também; se não bastasse isso, o coitado ainda é assado durante o dia para que na hora só precise esquentar e secar mais um pouquinho. 

Duas sugestões para quem gosta do peru. A primeira é colocar sobre o peito várias fatias de bacon fatiado, desde o começo do processo no forno. A segunda é colocar algumas pelotas de manteiga ou margarina entre a pele e a carne do peito.
Nos dois casos o efeito será o mesmo, a gordura derreterá e penetrará na carne, e fará com que fique mais úmida.
Vai uma terceira dica se precisar esquentar as sobras, no dia seguinte, borrife um pouco de água sobre
a carne e não se esqueça de colocar o papel alumínio para evitar que mais uma vez resseque.

Nas Coocerqui de Cerquilho (Centro) e Coocerqui (Nova Cerquilho), Boituva e Tietê você encontra diversas marcas de perus embalados prontinhos para serem usados na receita acima. Boa dica, né?
Até a próxima postagem. Fui! 
Ah! Que fique bem claro. Esse negócio de falar que comer peru no final do ano da azar não passa de invencionice popular. Coisa mais sem sentido! Bípedes e quadrúpedes, todos ciscam - pra traz, somente o homem - chuta. Qual será o motivo do peru sere o único a ser rejeitado? Aí tem coisa... Gente limpe bobagens da cabeça e saboeiem no Natal (ou em qualquer dia do ano) um belo peru acompanhado de um bom vinho. Bom apetite!!! 





sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

Respingos - Bullying





Bullying

 Postado por: Fabiana Honorato - Subeditora de Cidades

São cada vez mais frequentes os casos de bullying, seja em escolas particulares e públicas ou nos ambientes virtuais.

O que às vezes parece uma simples brincadeira aos olhos de pais, professores e colegas, pode deixar marcas para o resto na vida. Reclusão, insegurança, timidez e até agressividade são algumas das cicatrizes que a vítima de bullying deve carregar para sempre.

Há quem encare a preocupação com a banalização desse tipo de violência como um exagero. Afinal, piadas, apelidos e pegadinhas de mau gosto na escola sempre existiu certo? Outros defendem que vivenciaram o que hoje se chama bullying, sendo chamados dos mais diversos nomes, sofrendo agressões físicas e, apesar disso tudo, não levam traumas consigo.

Mas, desse tempo para cá, muitas coisas mudaram, desde os próprios relacionamentos dentro da sala de aula até a rapidez com que se divulga uma foto constrangedora na internet, por exemplo.

Apesar de tantas transformações, da maior liberdade - às vezes, até demais - entre alunos e professores e pais e filhos e dos estudos sobre esse comportamento, entender os sinais do bullying ainda parece uma tarefa difícil, em casa e nas escolas.

Por isso, é preciso que, diante de tantas formas de comunicação, e que se mostram cada vez mais instantânea, vítimas e familiares não se calem diante do problema, buscando a assistência necessária e a reparação de uma situação que pode fazer novas vítimas.

Por vezes, é o próprio agressor quem mais precisa de ajuda, uma vez que usa deste tipo de violência para mascarar um problema, uma carência ou uma dificuldade.

Vale lembrar que as escolas devem, sim, tomar essa responsabilidade como uma lição de casa, sob pena de compactuarem com um comportamento danoso, principalmente ao próprio objetivo final destes espaços: o aprendizado.

Ao contrário do que ouvíamos dos nossos pais há uns 30, 40 anos, devemos, sim, levar esse problema para casa.

Até a próxima postagem. Fui!

terça-feira, 17 de dezembro de 2013

COOCERQUI - Chester




Em 1979, a Perdigão enviou ao exterior dois de seus principais técnicos especialistas em avicultura com a missão de procurar uma nova linhagem. Em sua busca, encontraram uma empresa que trabalhava suas aves com o objetivo de melhorar o resultado das carnes e que havia desenvolvido uma ave tipo roaster, com maior quantidade de carnes nobres. Procedeu-se, então, à compra deste pacote genético que permitiria introduzir a criação das aves no Brasil.

Ainda em 1979, entraram em território nacional as chamadas avós (linhas puras de aves de corte). Estas foram encaminhadas à granja avícola Passo da Felicidade (em Tangará), que foi especialmente preparada e dotada de tecnologia. Além disso, a avícola foi construída em meio a uma reserva florestal de propriedade da empresa, para proteger as aves das contaminações patogênicas de outras aves.

Iniciou-se então um trabalho de 3 anos em que, através de sucessivas seleções e cruzamentos de linhagens diferentes, chegou-se a uma ave com maior concentração de carnes nobres (70% de peito e coxas). Foi a partir dessa particularidade que surgiu a marca “Chester” – derivação da palavra inglesa “chest” (que significa “peito”).

Assim, a partir do pacote genético e de informações técnicas sobre a espécie, a ave é desenvolvida até os nossos dias exclusivamente pela Perdigão.

Chester com cesta de queijo coalho e salpicão

 Tipo de prato: Prato principal


Preparo: Demorado (acima de 45 minutos)

Rendimento: 12 porções

Dificuldade: Médio

Categoria: Frango

Calorias: 871 por porção

Ingredientes

. 1 chester
. 400 g de queijo coalho ralado grosso
. 1 frango assado desfiado
. 100 g de passa sem sementes
. 2 talos de salsão picado
. 1 cenoura ralada grossa
. 1 maçã verde cortada em cubos
. 2 colheres (sopa) de suco de limão
. Sal e pimenta a gosto
. 1 pote de maionese (250 g)
. 1 pote de iogurte natural
. Salsa picada a gosto


Modo de preparo

1. Asse o chester de acordo com as instruções da embalagem.
2. Prepare as cestas: em uma frigideira antiaderente, ponha uma camada fina de queijo.
3. Quando estiver dourada, retire e molde as cestinhas sobre o fundo de uma forminha de 7 cm de diâmetro. Deixe esfriar.
4. Prepare o salpicão: em uma tigela misture o frango, a passa, o salsão, a cenoura e a maçã.
5. Tempere com o limão, o sal e a pimenta.
6. À parte, misture a maionese e o iogurte.
7. Misture com o frango e os legumes.
8. Distribua nas cestinhas, salpique a salsa e sirva em volta do chester.


Sanduíche de chester

2 fatias de pão de forma (de preferência integral)
2 fatias de peito de chester
1 colher de sopa de queijo da preferência
2 rodelas de pimentão amarelo bem fininhas
1 pitada de salsinha
2 talos de agrião, temperados com limão e sal

 Distribuir os ingredientes em uma fatia de pão e fechar com a outra.


Pizza de Pão Sírio de Chester
 

Ingredientes
- 4 colheres de sopa de molho de tomate
- 1 unidade de mini pão sírio
- ¼ de pimentão vermelho pequeno
- 120 g de mussarela light ralada
- 2 fatias de chester
- azeitonas verdes a gosto
Publicidade

Modo de Preparo

Abra o pão sírio e com uma das partes, faça uma pizza. Cubra com molho de tomate, metade da mussarela light ralada, o chester em tirinhas, o pimentão vermelho cortado em tiras e as azeitonas. Faça o mesmo com a outra metade do pão. Asse em forno médio por cerca de 8 minutos.








quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

Respingos - Sugestões para dormir


A droga morfina tem o nome derivado de Morfeu, visto que ela propicia ao usuário sonolência e efeitos análogos aos sonhos.
Quando uma pessoa vai deitar-se a outra diz: vá para os braços de Morfeu, significa dormir bem. Então é isso que estou te desejando - na hora certa, por favor.
 Gostaram das sugestões?
Até a próxima postagem. Fui!

terça-feira, 10 de dezembro de 2013

COOCERQUI - Champagne




Champagne 

 

  O champanhe ou champanha (em francês champagne) é um vinho branco espumante, produzido na região de Champagne, nordeste da França, através da fermentação da uva (uma espécie ou várias).

O champanhe é produzido na região administrativa de Champagne -Ardenne, cuja capital é Epernay. Foi próximo a Epernay, no povoado de Hautvillers, que os monges Dom Pérdignon e Dom Ruinart se esforçaram muito para domar os vinhos que fermentavam novamente nas garrafas fazendo-as explodir.
Esta antiga província histórica produz igualmente os vinhos chamados "tranquilos" (não-espumantes) que levam denominações diferentes como tintos, brancos ou rosados e são produzidos nas cidades de Bouzy, Virtudes, Damery.
No entanto, a região de Champagne produz, em grande maioria, vinhos espumantes (brancos ou rosados) chamados simplesmente de champanhe, sem mais especificações. Eles são produzidos obrigatoriamente à base apenas das uvaschardonnay, pinot noir e pinot meunier.

A flûte é o tipo de taça comumente usada para saborear o champanhe
Aos romanos atribui-se o facto de terem plantado as vinhas na região, embora haja documentos históricos que atestem que a cultura da vinha vem de muito antes, como do famoso escritor de então Plínio, que escrevia já dos famosos vinhos e vinhas desta região, e aos romanos se deve o início da produção dos espumantes na França.
Um dos motivos que elevaram a fama deste vinho foi o fato de que em Reims,  cidade mais importante de Champagne, foram coroados quase todos os grandes reis da frança. A coroação acontecia na catedral de Notre-Dame de Reims construída em 1225, e nas comemorações era servido champanhe. Por este motivo, ficou conhecido como o vinho dos reis.

 Batida de Pêssego com Champagne


  • 1 garrafa de champagne
  • 1 lata de pêssego em calda
  • quanto baste de açúcar
  • quanto baste de gelo
Como fazer
Despeje no liquidificador o champanhe, os pêssegos cortados e o açúcar. Bata bem até ficar homogêneo. Em seguida, bata mais um pouco, com o gelo.

Arroz com Champagne e Amêndoas

 

  • 4 colheres de sopa de manteiga
  • 2 xícaras de chá de arroz
  • 2 colheres de sopa de uva passa
  • 150 gr de amêndoas sem peles
  • 375 ml de champagne
  • 1 lata de creme de leite
  • 3 colheres de sopa de queijo ralado
  • 3 colheres de salsinha picadas
  • quanto baste de glutamato monossódico
Como fazer
Aqueça 3 colheres de sopa de manteiga. Junte o arroz e refogue. Acrescente a uva passa, deixe dourar por alguns minutos e coloque 3 xícaras de chá de água fervente. Espere ferver, abaixe o fogo e tampe a panela. Mantenha no fogo até secar. À parte, derreta a manteiga restante e doure ligeiramente as amêndoas. Reserve. Regue no arroz já cozido, com champagne e deixe no fogo baixo por mais alguns instantes. Retire e mexa bem o arroz com um garfo para que fique soltinho. Acrescente o creme de leite, o Aji-no-moto, o queijo ralado, a salsinha e as amêndoas, reservando algumas para enfeitar. Misture bem e decore com as amêndoas.

Atum ao champagne

 

  Ingredientes

  • 6 postas atum (aprox. 800g)
  • 100ml vinho branco
  • 1 dente de alho amassado
  • Suco de 1 limão
  • 1 colher de chá de sal
  • 1 colher de sopa de cebola picada
  • 1 copo champagne
  • louro em pó
  • 3 colheres de sopa de maionese
  • 4 cenouras
  • 1 colher de café de mostarda
Como fazer
Tempere o atum com vinho branco, alho, limão e sal, e deixe por 30 minutos. Corte as cenouras em rodelas, cozinhe em água e sal e retire para esfriar. Refogue a cebola em um pouco de água, coloque as postas de atum, o champagne, o louro e o tempero onde o peixe ficou marinando
Deixe cozinhar por aproximadamente 5 minutos, retire o atum com cuidado e reserve.
Leve o molho que ficou na frigideira para gelar.
Depois de frio, bata no liquidificador com a maionese, as cenouras cozidas e a mostarda.
Coloque o molho sobre o atum, aqueça e sirva
Rendimento: 6 porções
Calorias: 250 kcal/porção



Gelado de Iogurte com Geleia de Frutas Vermelhas e Champagne

 

  • 720 g de iogurte natural
  • 4 colheres de açúcar
  • 1 colher de sobremesa de casca de laranja ralada
  • 1/2 envelope de gelatina em pó incolor
  • 300 g de frutas vermelhas a gosto (morango, cerejas, amoras, framboesas) para decorar.
  • 250 g de Geleia de Cerejas
  • 1 taça de champagne
Como fazer
Tempere o iogurte com a casca de laranja e o açúcar.
Dilua a gelatina em pó conforme a embalagem e adicione ao iogurte.
Coloque o preparado em forme decorativa, previamente molhada com água fria.
Leve para gelar por no mínimo 4 horas.
Na hora de servir, dilua a geleia com champagne e despeje sobre o gelado de iogurte já desenformado. Decore com as frutas vermelhas frescas.

Opcional. Pode acrescentar um pouco de creme de leite fresco e até claras em neve para mudar a consistência, deixando-a mais aerada.