quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

Respingos








ATENÇÃO CERVEJEIROS!!!

A Cerveja mata?
Sim. Sobretudo se a pessoa for atingida por uma caixa de cerveja com
garrafas cheias. Anos atrás, um rapaz, ao passar pela rua, foi
atingido por uma caixa de cerveja que caiu de um caminhão levando-o a
morte instantânea. Além disso, casos de infarto do miocárdio em idosos
teriam sido associados às propagandas de cervejas com modelos
boazudas.
O uso contínuo do álcool pode levar ao uso de drogas mais pesadas?
Não. O álcool é a mais pesada das drogas: uma garrafa de cerveja pesa
cerca de 900 gramas.
Cerveja pode causar dependência psicológica?
Não. 89,7% dos psicólogos e psicanalistas entrevistados preferem uísque.
Mulheres grávidas podem beber sem risco?
Sim. Está provado que nas blitze a polícia nunca pede o teste do
bafômetro pras gestantes. E se elas tiverem que fazer o teste de andar
em linha reta, sempre pode atribuir o desequilíbrio ao peso da
barriga.
Cerveja pode diminuir os reflexos dos motoristas?
Não. Uma experiência foi feita com mais de 500 motoristas: foi dada
uma caixa de cerveja para cada um beber e, em seguida, foram colocados
um por um diante do espelho. Em nenhum dos casos, os reflexos foram
alterados.
A bebida envelhece?
Sim. A bebida envelhece muito rápido. Para se ter uma idéia, se você
deixar uma garrafa ou lata de cerveja aberta ela perderá o seu sabor
em aproximadamente quinze minutos.
A cerveja atrapalha no rendimento escolar?
Não, pelo contrário. Alguns donos de faculdade estão aumentando suas
rendas com a venda de cerveja nas cantinas e bares na esquina.
O que faz com que a bebida chegue aos adolescentes?
Inúmeras pesquisas vinham sendo feitas por laboratórios de renome e todas
indicam, em primeiríssimo lugar, o garçom.
Cerveja engorda?
Não. Quem engorda é você.
A cerveja causa diminuição da memória?
Que eu me lembre, não.
Isso é uma brincadeira. Jamais apologia ao álcool.
Transcrito por V.G. 

Até a próxima postagem. Fui! 

quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

Respingos




Cadeia de mulheres
 
Doutor, cadeia foi feita para homem, disse uma prisioneira no dia em que cheguei à Penitenciária Feminina há quatro anos.



De fato, as leis que regem a conduta nas prisões femininas são muito diferentes das masculinas. Como o estabelecimento da hierarquia é inerente à restrição do espaço físico em que convivem seres humanos, e os homens são muito obedientes a ela; entre eles ficam mais claras as relações de domínio e submissão, a estrutura das coalizões e da organização dos grupos na disputa pelo poder.



Embora nos presídios femininos também ocorra fenômeno semelhante, não se percebe a mesma linearidade. As relações são mais complexas, porque as detentas operam em rede. Apesar de muitas vezes dar a impressão contrária, a mulher é sobretudo, contestadora e avessa à submissão hierárquica.



O cotidiano da prisioneira é dominado e pela solidão. Ao ir para a cadeia, é separada dos filhos, abandonada pelo homem, fica mais pobre ainda, mal cuidada e ganha peso por causa da dieta e do sedentarismo. Nessas condições, quem quer saber de uma mulher? Poucas pessoas, a julgar pelo tamanho das filas nos dias de visita. Com alegações variadas até os familiares mais próximos se afastam. A mãe visita o filho preso durante anos consecutivos; a filha não merece a mesma consideração.



A vida solitária é um convite abuso de drogas ilícitas e aos relacionamentos homossexuais que amenizam as agruras do cárcere. Impossível saber quantas mulheres têm namoradas na Penitenciária, mas são centenas.



Ao ganhar a liberdade, sozinhas, com a folha de antecedentes manchada pelo aprisionamento, como ganhar o sustento dos filhos, que geralmente são muitos?

Dráuzio  Varella


Até a próxima postagem. Fui!

terça-feira, 29 de janeiro de 2013

COOCERQUI


Palmito 
 




O palmito é rico em fibras e pobre em calorias. Cultivado hoje em quase todo o país, ele ganhou fama e preço. Depois de escolher o tipo, você pode saboreá-lo à vontade. Além de te deixar esbelto faz bem à saúde.








O palmito foi considerado um alimento quase em extinção por causa da exploração irregular do tipo mais consumido: o Jussara. Mas, além desta, ainda existem outras duas espécies tão saborosas quanto nutritivas, e de baixas calorias. Aliás, esse é um dos principais motivos que levam médicos e nutricionistas a indicarem a hortaliça para incrementar saladas, tortas, quiches, sopas e bolos salgados.

O palmito é o talo macio e fibroso que fica na parte inicial da folhagem da palmeira. Existem três tipos. Na Floresta Amazônica, por exemplo, encontramos o pupunha e o açaí. Enquanto na Mata Atlântica temos o jussara, também conhecido como jissara, doce ou branco. Só para ter uma idéia, os três têm em média a mesma quantidade de calorias: 29 para 100 g do produto fresco. Veja as especificações de cada um deles:


Jussara: é uma palmeira nativa da Mata Atlântica e está presente em quase toda a costa brasileira, da Bahia até o Rio Grande do Sul. Claro, vistoso e carnudo, é o mais saboroso deles. Em compensação é a espécie que mais sofre com a extração clandestina, pois cada pote da hortaliça equivale a uma árvore derrubada. Além disso, a planta demora muito para crescer e quase dez anos para chegar ao ponto de corte.


Açaí ou açaizeiro: proveniente da região amazônica, esta espécie representa 90% do que é comercializado no País, já que, diferente do jussara, a planta não morre depois que o vegetal é extraído. Sua textura é macia e suculenta e é dessa palmeira que se retira também, a fruta do açaí comercializada no Brasil.


Pupunha: é o mais jovem entre os palmitos conhecidos, pois começou a ser cultivado apenas nos anos 90 _ é o mais ecologicamente correto de todos. Ele se diferencia por ser a única espécie cultivada da planta _ as outras são exploradas. Atualmente tem substituído os diversos tipos na culinária. De cor clara, é bem macio. E ainda tem mais: o palmito pupunha custa menos que os demais.

Todos os tipos contêm baixo nível de gordura e são fontes de fibras, minerais, vitamina C e proteínas tornando-se ótimas opções para quem procura refeição balanceada. O alimento costuma ser recomendado em dietas com restrição calórica. O problema é que, como a maioria dos palmitos é comercializada em conserva, precisa ser consumido com moderação por causa da grande concentração de sódio, o que acaba provocando a retenção de líquidos.

Torta de verão: todos vão aprovar!


Preparo: Demorado acima de 45 minutos

Rendimento: 8 porções

Dificuldade: Fácil

Categoria: Torta salgada e quiche

Calorias: 343 por porção

Ingredientes:


Massa:
· 2 xícaras de chá de farinha de trigo
· 4 colheres de sopa de gordura vegetal
· 1/2 lata de creme de leite
· 1 colher de chá de sal
· 1/2 colher de chá de fermento em pó


Recheio:
· 1 colher de sopa de azeite
· 1 colher de sopa de margarina
· 1 cebola picada
· 1 tomate sem pele e sem sementes picado
· 1 lata de milho verde
· 1 vidro de palmito
· 1/2 xícara de chá de azeitona verde picada
· 2 colheres de sopa de farinha de trigo
· 1 xícara de chá de leite
· 2 colheres de sopa de salsa picada
· 2 colheres de sopa de parmesão ralado

Modo de preparo:


Massa:
Em um recipiente, misture bem os ingredientes da massa. Cubra com filme plástico e leve à geladeira por 20 minutos.

Recheio:
Em uma panela, leve ao fogo o azeite e a margarina, refogue a cebola e o tomate. Junte o milho verde escorrido, o palmito cortado em cubos e a azeitona. Refogue por cinco minutos. Dissolva a farinha de trigo no leite e acrescente ao refogado, mexendo bem. Por último, adicione a salsa. Espere a mistura esfriar.

Montagem:
Forre uma forma de aro removível de 25 cm de diâmetro com a massa. Recheie e leve ao forno em temperatura média por 20 minutos ou até dourar. Retire do forno e salpique o queijo ralado. Sirva com salada.


sábado, 26 de janeiro de 2013

Respingos


O prefeito doutor Antonio Del Bem Júnior começou a administração com o pé direito. Marcou um tremendo gol ao não dar pelotas aos palpiteiros. Não nomeou nenhuma promessa política – se é que ele fez – do que duvido. Tivemos experiências amargas no passado com nomeações – quase toda cartas marcadas e, quase sempre pelo revanchismo, pelas retaliações que fizeram abusando do poder. Transformaram a prefeitura num tremendo circo de horrores.
Doutor Tó preferiu o lado profissional nomeando quem tinha perfil e currículo para exercer a cada cargo de confiança.

Aos despeitados que tentaram tumultuar a iniciativa do Conselho Tutelar e a decisão da Justiça tentando culpar a atual administração pela mudança do carnaval do centro para o Centro de Eventos Municipal não entenderam patavina do que foi divulgado até agora. Para colocar fim nessa guerrinha é bom saber que, se o outro candidato tivesse ganhado a eleição o carnaval teria o mesmo destino. A lei determinou. 

Até a próxima postagem. Fui!

quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

Respingos


Trabalho em bico-de-pena feito por este blogueiro. Mais um da série "Visões Fantásticas". Haja paciência! Pontinho por pontinho, tracinho por tracinho. Satamariagorete!


Queridos amigos continuem prestigiando minhas postagem. Agradeço profundamente. Fui!

terça-feira, 22 de janeiro de 2013

COOCERQUI



Pão de queijo tradicional

 INGREDIENTES

2 caixas de creme de leite (sem soro)
250g de queijo parmesão ralado
250g de queijo mussarela ralado
500g de polvilho doce
Sal a gosto
MODO DE PREPARO
Numa tigela coloque o creme de leite, o queijo parmesão, o queijo mussarela, o polvilho doce e sal a gosto. Amasse bem até soltar das mãos. Com as mãos, pegue pequenas porções de massa e faça bolinhas. Numa assadeira untada com manteiga coloque as bolinhas e leve ao forno preaquecido a 180°C até dourar.

Bolo de pão de queijo

 

 

Todo bom mineiro sempre teve uma quedinha pela culinária do seu estado. Mas como resistir a um feijão tropeiro, vaca atolada, frango com quiabo, ambrosia, brevidade, pão de queijo...
Para "matar" a saudade dos sabores de Minas Gerais aqui vai uma receita não tradicional de fsazer pão de queijo um dos cartões de visita do estado. ]. Porém, não será o tradicional pão de queijo. Este é um Bolo Pão de Queijo. Uma forma mais rápida e tão saborosa quanto!
A origem do pão de queijo é incerta. Estudos dizem que surgiu, no século 19, na época dos escravos. Mas na década de 60 que começou sua carreira de sucesso. Dizem que as cozinheiras das fazendas preparavam biscoitos de polvilho para seus senhores. Nesta época era muito abundante o queijo na região, e para evitar que estragasse elas começaram a acrescentar nas receitas dos biscoitos. Surgindo, então, o pão de queijo.
Se elas soubessem o sucesso que faria, teriam patenteado a receita.


Ingredientes:
  • 3 ovos
  • 1/2 xícara (chá) de óleo
  • 1 xícara (chá) de leite
  • 100g queijo parmesão ralado
  • 100g mussarela ralada
  • 3 xícaras (chá) de polvilho doce
  • 1 colher (café) de sal
  • 1 colher (sopa) de fermento em pó
  • Salsinha picada e orégano (opcional)
  • Queijo parmesão ralado para polvilhar

Modo de preparo:
  1. Colocar no liquidificador o óleo, o leite, os ovos e o sal. Deixar bater.
  2. Desligar e adicionar o queijo parmesão e a mussarela. Bater novamente. Reservar.
  3. Em um recipiente, colocar o polvilho doce e a mistura reservada.
  4. Mexer com auxílio de uma colher, e se desejar acrescentar a salsinha e o orégano.
  5. Incorporar o fermento.
  6. Colocar em uma assadeira redonda de buraco no centro, untada e polvilhada.
  7. Levar ao forno pré-aquecido (200ºC), por 20 a 25 minutos.
  8. Decorar com queijo ralado.
 


Esta receita foi feita na minha casa. Surpreendente! Fica igualzinho as fotos. Hummmmmmm!

domingo, 20 de janeiro de 2013

Respingos

Trabalho em bico-de-pena feito por este blogueiro da série "Visões fantásticas". Repare nos detalhes. Quanta paciência. Pinguinho por pinguinho.



sábado, 19 de janeiro de 2013

Respingos



O Risco da crendice

A maior parte das pessoas pensa que acreditar em espíritos ou telepatia é inofensivo. Não é. Por razão muito simples: quem acredita em coisas para as quais não existe nenhuma evidência pode acreditar em tudo. Da mesma forma que o consumo de maconha pode levar à heroína, crenças simplórias em fantasmas e discos voadores podem levar a outras mais perigosas”.

“A melhor forma de enfrentar a morte é encará-la de cabeça erguida. A morte é parte da vida, e fingir que um morto pode falar por intermédio de pessoas que cobram pelo serviço é insulto à inteligência dos vivos”

“Os índios acham que o mundo está repleto de espíritos que ajuda a ajeitar o caos. É claro que os brasileiros não levam a sério o animismo ianomâni. As crenças dos povos primitivos têm tanta base científica quanto as bobagens do feng shui”.  (Feng shui é a doutrina chinesa que propõe o uso da decoração e da arquitetura para equilibrar a energia das pessoas).

“Todos se lembram dos famosos biorritimos, aquela história de que é possível usar os ciclos do corpo que se repetem em ritmos regulares para traçar previsões sobre a carreira, a vida amorosa e o futuro financeiro de uma pessoa. Muita gente ganhou fortunas com isso e hoje ninguém mais toca no assunto. Outra bobagem foi o Triângulo das Bermudas. Diziam que era lugar onde navios e aviões desapareciam misteriosamente. Há ainda o poder das pirâmides, que se acreditava capaz de conservar comida, afiar faca e até aumentar a potência sexual. É bobagem pura, que ninguém mais leva em consideração. Há também as cirurgias psíquicas nas Filipinas e na América do Sul, mas já são menos frequentes. Foram desmoralizados depois que mágicos demonstraram a facilidade com que se produzem os truques ditos paranormais”.

Michael Shermer é diretor de Ong americana que combate as superstições, crendices e mitos.

Caros amigos, obrigado, mil vezes obrigado por fazer este blog acontecer. Fui!

quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

COOCERQUI



Kafta na Bandeja



Os árabes e seus descendentes tiveram a acolhida no Brasil facilitada pela existência de uma identidade cultural entre os dois povos provocada pela colonização portuguesa, pois Portugal trazia forte influência desses povos incorporada a seus hábitos. A herança trazida no terreno da comida foi sem dúvida das mais estimulantes.
Eles estão entre as poucas culturas que estabeleceram uma grande afinidade entre a sua milenar comida e a estrutura familiar. Cabe às mulheres a função de providenciar o alimento, preparando iguarias saborosas e inesquecíveis. Para os proprietários de restaurantes árabes, o melhor elogio que podem receber é sem dúvida a afirmação de que o prato que lhe foi servido é “quase tão bom quanto o de minha mãe”.
O povo árabe tem a tradição de comer com vontade e satisfação, e, segundo o costume, não é de bom-tom recusar pedidos para que se repita os pratos, mesmo comendo mais do que se pretenda.
Alguns dos hábitos alimentares se solidificaram, como a importância dada aos grãos, a utilização de temperos e especiarias, a importância da coalhada, entre outros. A partir disso, infinitas combinações foram criadas e consumidas com prazer.
O Kafta é um prato bem versátil e pode ser feito de várias maneiras. Assado no forno, na churrasqueira ou em uma frigideira. Originalmente, era feito com carne de carneiro.
Mas, aqui no Brasil, ele é feito com carne de boi na maioria das vezes.
Um dos ingredientes fundamentais é a pimenta síria, que proporciona um perfume e sabor delicioso a esse prato.



Ingredientes:
1 quilo de patinho moído (moída duas vezes)
1 limão
1 dente de alho
sal e pimenta-do-reino a gosto
1/2 maço de salsinha
2 colheres de sopa de azeite de oliva
1 tomate grande
1 copo de água
1 cebola grande
1 colher de sopa de manteiga
3 colheres de sopa de extrato de tomate
2 saquinhos de creme de cebola em pó
Modo de Preparo:
Misturar a carne com o suco de limão, o alho socado, creme de cebola em pó, o sal, a pimenta, a salsinha e o azeite.
Coloque numa assadeira untada, formando uma camada de aproximadamente 2 centímetros de espessura. Em seguida distribua as rodelas de tomate e cebola. Espalhar a manteiga em pedacinhos. Dissolver o extrato de tomate na água e regar a carne.
Leve ao forno médio durante 20 minutos


Kafta para churrasco


Comida típica Árabe a base de carne bovina moída e condimentada com ervas.
Ingredientes:
1 quilo de carne bem moída;(acém, paleta,ou tudo misturado)
3 colher e meia de chá de sal;
1 colher de glutamato de monossódico (ajinomo…)
1 porção de salsa e cebolinha triturados;
1 maço hortelã;
2 ovos
5 colher de sopa de molho inglês;
6 colheres de sopa de farinha de rosca;
2 regadas de azeite;
2 colher de café de pimenta síria;
4 colheres de sopa de trigo para quibe;
suco de 1 limão siciliano
Palitos de churrasco pra montar.
Preparo:
Coloque a carne moída numa tigela junto com a salsa, a cebolinha inteira e a hortelã, todos bem picadinhos.
Coloque os ovos, a pimenta síria, o sal, o azeite, o molho inglês, o limão a farinha de rosca e o trigo para o quibe e amasse tudo até dar liga.
(dica) Se quiser testar o sabor asse um pequeno pedaço na frigideira como se fosse um mine hambúrguer
Depois de amassar tudo bem amassadinho faça uma bola e espete num palito de churrasco distribuindo a massa por todo o palito.
Congelar por pelo menos 1 hora para que não grude na hora de assar
Pode também usar um tubo de pvc para moldar
Coloque na churrasqueira virando sempre até ficar dourada por igual.
Um limãozinho ou molho de tahine ou pimenta pra acompanhar vai bem.
Será um sucesso no seu churrasco…..
Rendimento: 2o porções
Tempo de preparo: 30 minutos
Grau de dificuldade: fácil

domingo, 13 de janeiro de 2013

Respingos


Satisfeito

Um projeto muito civilizado inteiramente brasileiro e que se espera, obtenha bons resultados em termos de Terceiro Setor, é o Projeto Satisfeito, já absorvido por vários restaurantes em São Paulo, cujos donos já perceberam seu alcance, transparência e simpatia angariada junto aos fregueses.

Uma lucidez batalha contra o desperdício. Trata-se de colocar no cardápio o item “satisfeito”. Ao fazer essa opção, a pessoa recebe à mesa, dois terços do prato e paga o valor integral. Qual o resultado? Além de não desperdiçar ou responder à gula, o freguês está colaborando com a benemerência, já que o economizado pela direção do estabelecimento é destinado mensalmente para ONGs catalogadas.

Legal, não? Mas isso depende de duas condições: a credibilidade do restaurante e sua prática de servir quantidades suficientes e não aquela miséria, sob a desculpa esfarrapada de “nouvelle cousine”. Tomara dê certo e seja praticado aqui na nossa terrinha.



Querido amigo e amiga tenha um bom dia degustando macarrão com porpeta. Fui!

quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

Respingos


Administrações das principais metrópoles brasileiras deveriam levar puxões de orelhas por priorizarem o automóvel. Entenderam novos inquilinos da prefeitura? Todas com o trânsito saturado, sem agilidade, tornando a vida de quem nela vive insuportável. Quanto cimento! Quanto asfalto! A situação caótica que essas cidades se transformaram não é obra do acaso, mas sim de sucessivos governantes que jamais tiveram olhar para o futuro. É preciso que governantes de pequenas e médias cidades se alertem pelo perigo de priorizar o carro a qualquer custo. A cada novo viaduto a cada gigantesco estacionamento, matas são derrubadas juntamente com parques, praças, praças esportivas, jardins são dizimados. É preciso dar chance aos pedestres e aos ciclistas. Perde-se muito tempo no trânsito. A qualidade de vida diminui e a poluição aumenta, as enchentes é o terror de seus moradores. A cada espaço para estacionar carros motoristas e comerciantes esfregam as mãos de tanto contentamento. Tilim, tilim, tilim. No entanto todos deveriam levar a sério que quando glebas de terra viram asfalto e não se oferece passagens para a água da chuva algo de ruim vai acontecer. A terra quando agredida vira uma fera – bem madrasta – das brabas! Anotou prefeito Dr. Antonio Del Bem, secretariado e cargos de confiança?

Ah! Somos tratados todos os dias como palhaço pelo presidente ops prisedenta e seus agregados. Envenenam nosso fígado todos os dias, proporcionando um espetáculo tenebroso de falta de ética, de moral, de vergonha na cara, de hombridade...

terça-feira, 8 de janeiro de 2013

COOCERQUI

Melancia

Em praticamente todas as dietas você irá ver a melancia como uma das opções de frutas mais citadas para lanche. A melancia é rica em água e isso faz com que a sensação de saciedade seja muito grande. Então saiba que incluir a melancia na sua dieta é muito importante. Além dessa fruta conter nutrientes extremamente importantes para sua saúde, ela será ótima fonte de sais minerais e água, principalmente no verão.

A polpa da melancia tem praticamente 90% de água e isso diminui consideravelmente os níveis de ácido úrico, melhorando assim o funcionamento dos rins. Nem precisamos dizer então que a melancia é um ótimo diurético, fazendo com que se diminua aquela temida retenção de líquidos no corpo, além de ser uma fruta muito saborosa.
Uma fatia média de melancia tem cerca 30 calorias, isso comparado a outros alimentos não é nada, então aproveite essa dica e inclua a melancia no seu café da manhã ou nos lanches entre as principais refeições, pois definitivamente melancia não engorda, muito pelo contrário, ajuda a emagrecer.
Como se tudo isso não bastasse a melancia é rica em fibras  e todos os alimentos ricos em fibras ajudam no melhor funcionamento do intestino. Se você tem problemas para ir ao banheiro, ter a melancia no seu cardápio é uma ótima sugestão, sempre indicada inclusive por nutricionistas.
Coma bastante melancia e se você gosta da fruta melhor ainda, faça sucos e nem precisa adoçar, lembre-se que se alimentar bem é escolher bem os alimentos e isso inclui as frutas. Todos pensam que as frutas engordam e não é bem assim, o abacate e a banana podem ser inimigos de uma dieta se forem consumidos em exagero, ao contrário da melancia que poderá ser consumida sempre que você quiser.

Salada de melancia, rúcula e queijo
Que tal começar o mês com uma saladinha bem levee bem refrescante? Ainda melhor quando tem um visual lindo e sabores bem diferentes que se completam como o salgado marcante do queijo feta, o leve adocicado da melancia, a rúcula levemente amarga, folhas de hortelã pra deixar ainda mais refrescante e sementes de girassol para dar um toque crocante...
ficou com água na boca? deu vontade? então vamos a receita:
Ingredientes:
Rúcula
Melancia (sem semente, ou retire as sementes antes de usar)
Queijo feta
semente de girassol sem casca
Folhas de hortelã
Vinagre balsâmico
Sal, pimenta-do-reino e azeite para temperar

 Lave e seque bem as folhas de rúcula, arrume-as no fundo de um prato. Corte uma fatia de melancia em cubinhos.
 Corte o queijo também em cubinhos (um pouco menor do que a melancia, o quejo feta é salgado e tem sabor marcante). Espalhe os cubinhos por cima da cama re rúcula, salpique um pequeno punhado da semente de girassol. Tempere com um pouco de sal, pimenta-do-reino e um fio de azeite de oliva.
Decore com algumas folhas de hortelã e um fio de vinagre balsâmico. Sirva imediatamente.