sexta-feira, 4 de agosto de 2017

Gente descolada daqui, dali e de acolá:
















































Até a próxima postagem. Fui!

Ah! O humor pode ter malícia, não maldade! Não podemos criticar defeito físico de ninguém. A pessoa não tem culpa nem pode modificar a realidade. Se a crítica não pode ser construtiva é preciso refletir se ela é cabível ou então necessária. Nem todo gordo aceita ser chamado desta forma, muito menos de balofo. Se a pessoa tiver orelha de abano para que ficar a toda hora lembrando desse complexo. Se uma pessoa for feia, porque ficar lembrando desta condição a todo momento. Se as pessoas exageram na dose da vaidade para que agredir esse aspecto da sua personalidade. Proceda da mesma forma com termos como baixinho, narigudo, beiçudo, careca, caolho, barrigudo etc. Trate com dignidade os deficientes físicos e use a palavra técnica e não populares e ofensivos para designa-los. Assim, por exemplo, estrábico e não vesgo, impotente e não brocha. Outros termos a evitar são caolho, maneta, perneta, manco etc. Agindo dessa forma você estará atraindo mais pessoas para o seu aconchego para dividir, somar e multiplicar. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário