terça-feira, 30 de maio de 2017

Holofote para gente que brilha daqui, dali e de acolá:

















































Até a próxima POSTAGEM. fUI!


E o passarinho voou


E o passarinho voou… Fazemos qualquer coisa por um filho. Mas precisamos entender que foram feitos para o mundo. São nossos por um período. Depois precisam seguir o caminho que escolherem. A gente vai deixar de ser mãe ou pai por causa disso? Claro que não! Mas tem que se adaptar a essa nova realidade.

Quando o sofrimento pela saída de um filho de casa ganha espaço, entra a Síndrome do Ninho Vazio. “Ela atinge mais as mães, por serem mais acolhedoras e passarem mais tempo com os filhos. A sensação é de que ela não tem mais utilidade, perde o chão. Vai fazer o que? Com quem vai brigar? Precisa preparar o jantar pra quem? Muitas ficam até deprimidas”, explica a psicopedagoga Ana Maria Ierizzi.

Seu passarinho querido voou. E você até sabia e torcia para isso acontecer. Agora precisa aprender a viver sem ele na barra da sua saia. Como? Voltando no tempo e lembrando de tudo o que gostava de fazer. “As mães esquecem delas por muito tempo. Vivem reclamando que não têm tempo de ir ao cinema, fazer cursos, dormir até mais tarde. Quando, finalmente, podem fazer isso, ficam paralisadas pelo sofrimento da perda”.

O mais importante não é ver o filho feliz? Então, deixe-o voar e sempre fique ali, pra qualquer necessidade. Só não esqueça de resgatar o que gostava de fazer e nunca conseguia. “Voluntariado é uma opção para usar toda essa necessidade de fazer o bem, de cuidar. Escolha uma área e ajude alguma entidade, por exemplo,” ressalta Ana Maria.

Outra dica é ter um pet como companhia. “Quem não tem, vai adorar um animalzinho para cuidar e se preocupar. É uma maneira de aliviar este sofrimento até que você se acostume com a nova fase”. Praticar exercícios e participar de grupos de interesse em comum também são ótimas opções para você não se sentir tão abandonada.


Não esqueça que o filho sempre será seu. Mas o caminho dele é único. E deve ser trilhado somente por ele.

COOCERQUI - Receitas com cebola:




Originária da Ásia, a cebola é um alimento rico em diversos nutrientes. É perfeita para incluirmos em dietas, seja para emagrecimento ou por uma questão de cuidado com a saúde. Além disso, consumir cebola também nos oferece a sensação de saciedade. A cebola é ideal para gestantes, pois seu alto teor de folatos (ácidos fólicos e sais) ajuda no crescimento e bom desenvolvimento do feto nas primeiras semanas de gravidez.
O “choro” causado pela cebola durante o manuseio dela na cozinha ocorre devido uma substância chamada ácido sulfúrico que ao entrar em contato com os olhos, irrita e faz lacrimejar. Outra curiosidade é que na Antiguidade os faraós eram enterrados com cebolas, pois era considerado um sinal de eternidade. Já na Idade Média, a cebola era utilizada como moeda de troca. Este importante alimento que está sempre presente na mesa dos brasileiros é ofertado durante o ano todo, mesmo com o ápice de sua safra sendo entre os meses de setembro e março.

Cebola Empanada com Cerveja




Quer um aperitivo diferente para degustar com os amigos? Ei-lo! 

Ingredientes

1 copo de cerveja
1 copo de farinha de trigo
Sal a gosto
Ervas picadas a gosto (sálvia, alecrim e tomilho)
Pimenta vermelha tostada picada a gosto
1 colher de sopa de queijo parmesão ralado
3 cebolas cortadas em anéis de mais ou menos um dedo de espessura
Óleo para fritar

Modo de Preparo

Misture a cerveja com a farinha de trigo
Adicione sal, as ervas picadas a gosto (sálvia, alecrim e tomilho) e pimenta vermelha tostada picada. Acrescente  1 colher de sopa de queijo parmesão ralado
Deixe descansar por 20 min

Passe os anéis de cebola na mistura e frite em óleo com temperatura não muito alta.



Cebola empanada - da culinária australiana
 

INGREDIENTES

1 cebola grande
Água o suficiente
500gr de farinha de trigo
4 ovos inteiros
1 xícara de chá de leite
1 colher de chá de sal
1 colher de chá de pimenta caiena
1 pitada de páprica
500gr de farinha de rosca

MODO DE PREPARO

Óleo para fritar Modo de Preparo: Retire a casca da cebola, tomando cuidado para não retirar muita casca. Usando uma faca afiada, dividir a cebola em 4 partes, começando do alto para a raiz, deixando aproximadamente 1 cm na raiz. Repita esse processo até chegar em 16 partes. 

Coloque a cebola em um recipiente e cubra com água fervente, reserve até as pétalas começarem a abrir. Em seguida mergulhe em água gelada e reserve até a cebola se abrir em flor, Leve para uma peneira até escorrer toda água. Bata os ovos com o leite, junte sal, pimenta e páprica. 

Passe a cebola na farinha de trigo na batida de ovos, empane na farinha e rosca, e frite em óleo quente.

Palitinhos de cebola 


Ingredientes  
25 g de fermento de padaria
Meio copo de óleo
2 colheres cheias de margarina
2 pimentas vermelha
1 colher de sal
1 cebola média
1 copo de leite morno

Modo de Preparo 
Bata tudo no liquidificador, Depois dissolva o fermento e coloque a farinha.
Leve ao forno quente, Asse e pronto.
Não é necessário untar a assadeira

Chutney de Cebola Roxa
Esta receita é uma excelente opção para presentear, para sempre ter na geladeira, para acompanhar um queijinho, torradinha, pão sírio, para acompanhar assados...


Ingredientes
1kg de cebolas roxas descascadas (cerca de 6 cebolas grandes)
3 colheres de sopa de óleo
250 ml de vinagre de vinho tinto
50 ml de vinagre balsâmico
3 xícaras de açúcar mascavo
2 folhas de louro
15 a 20 pimentas-do-reino moídas 
sementes de mostarda à gosto
1 pitada de sal

Modo de Preparo

Refogue-as no óleo até que fiquem macias. Sendo assim, adicione os vinagres, o açúcar, as folhas de louro e a pimenta. Deixe ferver e depois cozinhe em fogo baixo por mais ou menos 1 hora, 1 hora e meia, ou até que as cebolas fiquem translúcidas e o líquido evapore
Fique de olho, pois se o líquido evaporar muito rápido, pode queimar. Adicionar as sementes de mostarda enquanto ainda estava bem líquido. Isso vai ao seu gosto. 
Assim que estiver bem mais consistente (o rendimento é tão pequeno pela quantidade de cebolas... mas vale a pena). Ponha o chutney ainda quente diretamente num vidro esterilizado próprio para conservas
Feche bem e deixe maturando em algum lugar escuro e fresco ou na geladeira, por 4 a 6 semanas (se quiser comer na hora também é coisa de louco). De acordo com a receita, se estiver bem fechado, ele terá uma validade de 6 meses até que seja aberto, quando deverá ser mantido na geladeira.


 Não deixem de fazer!