sexta-feira, 28 de abril de 2017

Holofote para gente bacana daqui, dali e de acolá:
































































Área central de Cerquilho.
Até a próxima postagem. Fui!



Ah! Não importa a profissão, o estresse faz parte do dia a dia num mundo cada vez mais competitivo. A Síndrome de Burnout é uma das consequências deste ritmo atual: um estado de tensão emocional e estresse crônico provocado por condições de trabalho desgastantes. O próprio termo “burnout” demonstra que esse desgaste danifica aspectos físicos e psicológicos da pessoa. Afinal, traduzindo do inglês, “burn” quer dizer “queima” e “out” significa “exterior”.
Em geral, a síndrome atinge profissionais que lidam direto e intensamente com pessoas e influenciam suas vidas. É o caso de pessoas das áreas de educação, assistência social, saúde, recursos humanos, bombeiros, policiais, advogados e jornalistas.
A Síndrome de Burnout, nada mais é o estresse em seu último grau. E anda atacando violentamente as pessoas, segundo matéria da revista Science. E como seu ponto chave está em levar uma vida contrariada, em não se fazer o que se gosta, em passar o máximo do tempo útil numa atividade profissional não desejada, conclui-se que as pessoas estão cada vez mais trabalhando apenas para sobreviver, sem possibilidade de se dedicar aquilo que gostam e fazer disso seu ganha-pão. Aliás, uma felicidade terrena das maiores. Se cuida mano!

- Arrogância – Pobre de quem se julga o dono da verdade, que acham que sabem tudo, que pode dispensar um mestre, um curso, uma lição de vida, porque acham que conhecem tudo, sabem de tudo e ouviram tudo. Cabeças bem resolvidas são aquelas que na maior tranquilidade colocam um “não entendi”, “quer me explicar de novo?”