sábado, 30 de abril de 2016

Gente de bem com a vida




















































Até a próxima postagem. Fui!



Ah! “Certo dia, um tio prometeu me dar um violão. Enquanto ele não cumpria a promessa peguei uma régua T e coloquei tachinhas, elásticos e marquei os trastes para ir aprendendo as posições e as trocas de posições. Assim, quando ganhei o violão, cinco ou seis meses depois já conseguia formar os acordes lá maior, lá menor e dó maior. Cheguei inclusive a fazer uma serenata para uma namorada e às vezes saia, com meu violão, por algumas das ruelas da colônia onde vivia”. Trecho do livro Chaves – história oficial ilustrada da Universo dos Livros.