domingo, 30 de novembro de 2014

"Você está louco!" e imagens diversas



... Os melhores exemplos são moradia e alimentação. Os meus vizinhos servem de exemplo. Um deles tem 11 casas, várias delas na Europa. No entanto há muitas que ele não visita há dois anos. Claro, de quantas casas alguém consegue usufruir, em vez de simplesmente as colecionar?
Outro vizinho tem uma mansão que lembra romances de Garcia Márquez, parece construída para abrigar um ditador latino-americano aposentado, em seus labirintos. Onde a família passa a maior parte do tempo? Numa sala pequena de TV, num cantinho acima da escada.
O mesmo vale para refeições. Ser rico o suficiente para fazer oito refeições por dia não resolve. O mesmo, claro, vale pra a saúde, sem falar em felicidade, amor e outras questões vitais. As refeições têm de ser distribuídas apenas de acordo com a fome, e comer folhinhas de ouro não alimenta ninguém....
...Além disso, parece existir uma lei do cosmos que indica que a energia de dinheiro parado, acumulado, não faz bem...
Trecho do livro “Você está louco! Uma vida administrativa de outra forma. Escritor Ricardo Semler – edito Rocco. 

















Até de repente. Fui!
Ah! O pintor no mato pode encontrar uma onça pintada?
Não há máquina que resolva cálculos renais?
Por onde será que anda os guardas-chuva perdidos?
Por onde será que vai São Jorge na lua minguante?

sábado, 29 de novembro de 2014

Direito e Imagens diversas

Direito
Qual a diferença entre defensor, procurador e promotor?
Não se engane com a rima. Eles trabalham em causas que podem envolver a sociedade, o governo ou aquela vizinha idosa que não consegue remédio gratuito no posto de saúde.

Defensor público
Órgão: Defensoria Pública do Estado
O que faz: “Senão puder pagar um advogado, o Estado arranja um para você”. Defensor público é o advogado dessa famosa frase que virou lei na Roma antiga. Ele trabalha para quem não tem condição de contratar advogado particular. Geralmente, são causas individuais, como pensão alimentícia.

Promotor de Justiça
Órgão: Ministério Público do Estado
O que faz: Trabalha em favor do povo. Ele atua em causas criminais, como de desvio de dinheiro por parte de políticos e outras que atingem a sociedade como um todo: direitos do consumidor, meio ambiente, patrimônio cultural e público etc. Já quem defende os interesses do governo é o Procurador do Estado.

Procurador do Estado
Órgão: Procuradoria-Geral do Estado
O que faz: Defendo os interesses do governo. O Procurador do Estado pode, por exemplo, ser autor de uma ação de despejo de um prédio público ou contra uma empresa que não paga impostos. Ele também atua em áreas específicas, que podem representar alguma entidade governamental, como INSS e Ibama.

Procurador da República
Órgão: Ministério Público Federal

O que faz: É o procurador da justiça que age em esfera federal. O procurador trabalha em causas que atingem todo o país, como fiscalização de dinheiro e tráfico internacional de drogas. Já o promotor atua somente dentro dos municípios.


















Até a próxima postagem. Fui!
Ah! Uma coisa é certa. Todos os aparelhos que facilitam a vida vai virar sucata. Fique ligado para não descartá-los a esmo. Senão, o mundo vai acabar sendo chamado de IMUNDO.

sexta-feira, 28 de novembro de 2014

Sobre Trânsito e Café

Faixa de segurança. O desrespeito à faixa de pedestres indica falta civilidade. No entanto, as próprias faixas de segurança são colocadas de tal maneira que induzem o motorista a desrespeitá-las. Posicionadas nas esquinas deixam os motoristas tentados a avançar sobre elas para enxergar os veículos que trafegam nos outros sentidos. Isso põe o pedestre em situação de risco. Mudanças simples, já aprovadas em outras cidades é a criação de faixas distantes de 5 a 10 metros das esquinas, o que facilita a visualização de trânsito e dá segurança a quem atravessa. Motoristas concordam com esta sugestão? Pois é, departamento de trânsito seria bom discutir essa novidade. 


O problema de trânsito no Brasil ocorre não pela falta de cultura do povo, mas de imaginação das autoridades. Países considerados exemplares possuem política muito mais rígida do que as nossas. Pecamos principalmente por manter penas reduzidas, tanto para quem comete crimes quanto para infrações de trânsito. O valor das multas é ridiculamente baixo, motivo pelo qual continuaremos recordistas em acidentes.

Um dos tópicos da minha coluna "Respingos", no Jornal de Cerquilho.




















Até a próxima postagem. Fui!
Ah! Amiga, se 70% do corpo é água, você não está gorda. Está inundada.