sexta-feira, 27 de junho de 2014

Respingos - Artur da Távola




...Se você não tem namorado é porque descobriu que o amor é alegre e você vive pesando 200 kg de grilos e de medo. Ponha a saia mais leve, aquela de chita e passeie de mãos dadas com o ar. Enfeite-se com margaridas e ternuras e escove a alma com leves fricções de esperança. De alma escovada e coração estorvado saia do quintal de si mesma e descubra o próprio jardim. Acorde com o gosto de caqui e sorria lírios para quem passe debaixo da janela. Ponha a intenção de queimar-se em seu próprio fogo e beba licor de contos de fada. Ande como se o chão estivesse repleto de sons de flauta e do céu descesse uma névoa de borboletas, cada qual trazendo uma pérola falante a dizer frases sutis e palavras de galanteio. Se você não tem namorado é porque não enlouqueceu aquele pouquinho necessário para fazer a vida parar e, de repente, parecer que faz sentido. “Enlou-cresça” Parágrafo final da crônica “Ter ou não ter namorado” de Artur da Távola.