segunda-feira, 30 de abril de 2012

Quermesse em Sorocaba


Olá queridos amigos. Ontem fui numa quermesse em Sorocaba juntamente com meus amigos Vinício, Ivani, Cida, Júlio, Tati e Caio. O convite partiu do nosso amigo Evandro que é padre na comunidade Santa Maria Madalena. O almoço delicioso foi servido com tempero equilibrado. No cardápio costelada à moda gaúcha. A guarnição: arroz, salada, farofa, mandioca, repolho refogadinho, pão e, doce muito doce. Dê uma espiadinha nas fotos e vá lambendo os beiços.
Costelada à gaúcha

O almoço


Meus amigos

Meus amigos

Padre Evandro no palco de avental vermelho

Geral da festa


Os doces, muitos doces!

A turma que cuidou das costelas com Pe. Evandro ao meio de avental vermelho.

Quanta gente de boa qualidade! Pe. Evandro muito obrigado pelo convite.

sábado, 28 de abril de 2012

Show de tango

Dignidade do começo ao fim. Quem foi ao Teatro municipal de Cerquilho no dia 26 de abril assistiu um espetáculo de qualidade. Músicos, cantor e cantora e bailarinos encantaram o público. Espetáculo internacional para voar para assistir. Pena que até um pessoal da cidade que tinha condições e não foi. Pena mesmo! Veja fotos:



 Pessoal as fotos não estão lá aquelas coisas. Me perdoem sou fotógrafo amador. Perdoado?
Até a próxima postagem. Fui!

quinta-feira, 26 de abril de 2012

Monteiro Lobato



 
Alguém pede uma indicação em termos de livro infanto-juvenil para o filho de 10 anos. A sugestão vai para a obra “Monteiro Lobato – Livro a Livro”, em organização de Marisa Lajolo, que arrebatou o Prêmio Jabuti, edição da Imprensa Oficial do Estado. Uma compilação primorosa que destaca a grande qualidade do autor: a simplicidade inteligente com que se dirigia às crianças, criando um veículo de linguagem igualitária, o que sempre foi a melhor proposta para valorizar a infância e o universo de quem está descobrindo o mundo. Através daqueles personagens fascinantes como Narizinho, Nhá Benta e outros.

Aliás, o que os pais devem sempre fazer com os filhos pequenos: tratá-los com o respeito que alcançam ao invés de se relacionar com eles como se nada compreendessem e fazendo promessas idiotas, quando não ameaças.
Postado por Luiz Alca de Sant’Anna (baixado santista)
Olá pessoal querido. Tudo em harmonia? Caloroso abraço a todos. Fui!

terça-feira, 24 de abril de 2012

 

A história do queijo gorgonzola

 

A história diz que o queijo foi descoberto por acaso há milhares de anos antes de Cristo, no Oriente Médio por um árabe nômade que trazia com seus alimentos uma espécie de cantil feito de estômago de cabra contendo leite também de cabra. Em certo momento, ao tentar beber o leite ao invés de sair o próprio leite saiu um liquido ralo semelhante a água suja, espantado, mas curioso. Abriu o cantil e descobrir uma espécie de coalhada branca que devido a situação jamais poderia ser dispensada e ao provar encontrou sabor agradável. Nasce assim o primeiro queijo e isso faz com que seja um dos alimentos preparados mais antigo do mundo.
A riqueza da historia da origem do queijo dificulta muito tratarmos em apenas um artigo,  falaremos de um tipo de queijo por vez e nessa primeira vez trataremos do gorgonzola.
Gorgonzola é uma pequena cidade situada ao norte da Itália, perto de Milão com aproximadamente 18 mil habitantes que criou um dos mais famosos queijos de todo mundo. A história do queijo na Itália se confunde com a própria historia italiana onde desde os reinados dos Césares o queijo tornou-se peça importante da alimentação dos italianos. Existe registro histórico onde é relatado que no ano de 879 dC, o bispo de Milão fez doação de queijo Gorgonzola, que era produto de alto valor, à escola de Santo Ambrósio, padroeiro da cidade, comprovando assim a importância desse alimento para a população da região milanesa.
Para acompanhar este prato a sommelliére Fernanda Vianna nos da uma dica: Cuidado ao harmonizar o queijo gorgonzola com vinho, esse queijo por ter sabor marcante pode ofuscar o sabor do vinho, mas ela recomenda um vinho Malbec (tinto seco) argentino. E para quem quer conhecer um pouco mais a respeito de vinho a sommelliére estará ministrando a palestra “Os Rituais do Vinho”, para maiores informações acesse o site www.lexcellence.com.br ou pelo telefone (61) 3039-8700.


 Penne com gorgonzola


Ingredientes:

Porção para 4 pessoas:

500g de massa tipo penne
2,5 xícaras de chá de queijo gorgonzola amassado
100 g de manteiga sem sal
1 colher de sopa de cebola picada
80 g de farinha de trigo
700 ml de leite morno
300 g de creme de leite fresco (pode ser em lata)
Sal

Modo de preparo:

Em uma panela derreta a manteiga e acrescente a cebola, antes dela dourar acrescente lentamente a farinha previamente peneirada, cuidando sempre para não deixar empelotar. Delicadamente despeje o leite mexendo sem parar faça com que a mistura se transforme em creme homogêneo. Se o creme de leite for fresco, junte ao preparado e aguarde fervura, mas se o creme de leite for de lata ou caixinha, aguarde o final da receita para acrescentá-lo. Agora com o fogo baixo, acrescente o gorgonzola e mexa até desmanchar o queijo. Experimente, caso necessário acrescente sal. Desligue o fogo. Em um refratário, despeje o penne previamente cozido e misture com o molho, coloque no forno médio por uns 10 minutos. Está pronto, sirva imediatamente.

Queijo que se parece com o roquefort francês, mas de origem italiana. De sabor picante, é caracterizado por veios azuis. Tem massa macia e quebradiça. Encontra-se à venda já cortado, principalmente em fatias embrulhadas em papel alumínio. Servido na tábua de queijos, com bolachas, como aperitivo, em sanduíches ou lanches e, muitas vezes, em pratos salgados, quentes e frios.
Lasanha Verde com Espinafre, Gorgonzola, Mussarela
e Molho Branco

Ingredientes
Rende 6 porções

200 g de massa para lasanha pré-cozida
100 g de manteiga
• 4 colheres (sopa) de farinha de trigo
1 litro de leite
200 g de queijo gorgonzola
200 g de espinafre cozido
• 12 fatias de queijo mussarela
• 1 1/2 xícara (chá) de queijo parmesão ralado (150 g)
Modo de Preparo
Derreta a manteiga e em seguida adicione a farinha de trigo. Mexa até começar a cozinhar e despeje aos poucos o leite morno. Continue mexendo até ficar cremoso. Acrescente o queijo gorgonzola e o espinafre já cozido escorrido e picado. Cubra o fundo de um refratário com o molho. Faça camadas com a massa, a mussarela, o molho e o parmesão, até quando desejar. Termine com o molho e o parmesão. Leve ao forno a 170ºC por 40 minutos.

Ah! ALHO - Empregado como condimento para todos os tipos de pratos, esta planta da família das liláceas, provavelmente originária da Europa Meridional e da Ásia Central, faz parte da mitologia, do folclore, da história e, é claro, da alimentação de quase todos os povos. O cultivo do alho começou muito antes do registro da escrita, mas sabe-se que a maioria dos mitos relacionados a ele resultam do seu cheiro extremamente ativo e desagradável a muitos. Este é causado pelo seu principal componente, um óleo volátil, sem o qual o alho perderia muitas de suas comprovadas características alimentares e medicinais. Do alho, utiliza-se o bulbo, composto pelos dentes. Retirando-se a pele, o dente pode ser usado esmagado, picado, fatiado, grelhado, assado ou frito.

domingo, 22 de abril de 2012

Dia da terra

Dia 22 de abril é dia da terra, nossa casa, lar de todos que respiram. Algumas imagens para vocês:

Queridos amigos um bom dia, uma boa tarde, uma boa noite e uma boa madrugada. Até a próxima postagem. Fui!
Ah! Meninos e meninas como anda o relacionamento com os seus pais merecendo mesada ou cadeirada?

sábado, 21 de abril de 2012

Os Pecados dos vendedores


OS PECADOS DOS VENDEDORES – A CONSULTORA DE ETIQUETA Cláudia Matarazzo destaca as gafes mais comuns cometidas pelos atendentes.
·        Forçar intimidade que não existe. Chamar pelo apelido (por tio, sem ser, nem pensar!) e perguntar sobre a vida pessoal soa falso demais.
·        Questionar repetidas vezes se a peça serviu enquanto o cliente ainda está no provador. A pessoa sente-se pressionada e perde a vontade de experimentar.
·        Montar guarda na porta do provador. Para não ser evasivo é melhor colocar-se à disposição e opinar apenas quando for solicitado.
·        Não dar preferência ao primeiro cliente a entrar na loja. A prioridade é a ordem de chegada e não o suposto poder aquisitivo do consumidor.
·        Fechar a cara ou tentar se esquivar quando surge uma troca, situação em que o vendedor não ganha comissão.
·        Oferecer peças que fogem do pedido. Empurrar uma jaqueta de couro quando a pessoa só quer uma bermuda irrita qualquer um.
·        Fazer conchavo com os colegas para dizer ao cliente que outra pessoa deseja aquele mesmo produto “o último da loja”.
·        Não saber dar informações sobre os tipos de tecido ou a inspiração da coleção o que passa a impressão de inexperiência.

OS PECADOS DOS VENDEDORES – A CONSULTORA DE ETIQUETA Cláudia Matarazzo destaca as gafes mais comuns cometidas pelos atendentes.
·        Forçar uma intimidade que não existe. Chamar pelo apelido (por tio, sem ser, nem pensar!) e perguntar sobre a vida pessoal soa falso demais.
·        Questionar repetidas vezes se a peça serviu enquanto o cliente ainda está no provador. A pessoa sente-se pressionada e perde a vontade de experimentar.
·        Montar guarda na porta do provador. Para não ser evasivo é melhor colocar-se à disposição e opinar apenas quando for solicitado.
·        Não dar preferência ao primeiro cliente a entrar na loja. A prioridade é a ordem de chegada e não o suposto poder aquisitivo do consumidor.
·        Fechar a cara ou tentar se esquivar quando surge uma troca, situação em que o vendedor não ganha comissão.
·        Oferecer peças que fogem do pedido. Empurrar uma jaqueta de couro quando a pessoa só quer uma bermuda irrita qualquer um.
·        Fazer conchavo com os colegas para dizer ao cliente que outra pessoa deseja aquele mesmo produto “o último da loja”.
·        Não saber dar informações sobre os tipos de tecido ou a inspiração da coleção o que passa a impressão de inexperiência.

Até a próxima postagem. Fui!
Ah! Os livros nos ajudam a crescer, mesmo assim poucos lêm. Imagine se ajudassem a engordar.

sexta-feira, 20 de abril de 2012

Fuja das saias justas


FUJA DAS SAIAS JUSTAS – Precauções para evitar dor de cabeça na hora da troca.
·        Deveria ser uma obrigação, mas, se o vendedor não informar espontaneamente as condições de troca, pergunte.
·        Para não correr riscos peça que o gerente faça uma declaração das condições da troca por escrito na nota fiscal ou em um cartão.
·        Mantenha a etiqueta na peça.
·        Em caso de defeito a loja tem o dever de fazer a troca em até noventa dias. Se a roupa não serviu ou não agradou, respeite o prazo estipulado que varia de dez dias até o fim da coleção.
·        Preste atenção às limitações impostas pelas marcas. Itens em oferta nem sempre são substituídos.
·        Certifique-se de que a troca pode ser feita em qualquer unidade da rede.
·        Vai presentear alguém? Avise o atendente. As grifes que exigem nota fiscal no momento da troca possuem selos diferenciados para essa situação.
·        Nada mais chato do que dar algo em promoção. Mesmo que possa ser trocada a peça fica desvalorizada em relação a outras disponíveis.
·        Manter o bom censo é indispensável. Devolver um produto já usado, além de desonesto, poder ser constrangedor. Escolados, os vendedores são peritos em perceber cheiro de perfume ou manchas de maquiagem.
·        Muitas lojas não trocam roupas íntimas.
Fontes: Sergio Tannuri, advogado especialista em defesa do consumidor e Maíra Feltrin Alves, advogada do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec)
Até a próxima postagem. Fui!
Ah! Não posso deixar de agradecer esse pessoal gente fina que faz meu blog acontecer. Obrigado, mil vezes obrigado.


quinta-feira, 19 de abril de 2012

Drama à Mexicana


Naufrágio, bigodes, loira e morena. O texto “Receita infalível para um drama à mexicana” escrito por Geraldo Galvão Ferras. O texti é hilário. Confira devo ter lido esse texto hilário há mais ou menos uns 10 - anos ou mais. Confira:
"Como toda autora de novela latino-americana que se preze, doña Delia Fiallo é cubana e mora no lado certo da ilha, ou seja, em Miami. Ela escreveu Topázio num curso que deu na Espanha sobre como fazer novela, afirmou “o importante é o relato”. Será? Em A estranha Dama, O retorno da Estranha Chispita, Simplesmente a Fera ou Alcançar uma Estrela com Topázio, as situações e o visual se repetem como el sol busca l aluna.
A mocinha é a loira, a morena é a rival. O galã é o de bigode, o bandido é o de bigode, o vovô é o de bigode, o cachorro é o de bigode. Aquele de termo branco, gravata preta de bolinhas brancas e lencinho preto no bolso da lapela é qualquer um, menos o padre. Que é sem bigode. Da mesma forma que as mocinhas que ostentam sempre maquiagem a mais e o tom errado de batom. Falando nisso o merchandising das empresas de navegação mexicanas é meio incompreensível: toda novela tem um barco ou um navio que afunda. A criança sobrevivente é recolhida por bondosos velhinhos, que morrem. Indo para um orfanato ela é adotada por família rica, apaixona-se pelo rapaz da casa que está prometido para outra – pérfida e esnobe – que não perde a acasião de humilhar a gata borralheira. Mas a vilã tantas faz que a mocinha cai da escada e fica cega. Apesar disso a heroína continua a lavar o chão da mansão dos Guerrero. 
...Na véspera do casamento da bandida com o mocinho (lembre-se, ele é o de bigode), Irmã Piedade intervém e conta para a empregada Maria que os dois não podem se casar porque são irmãos (ela deve saber, pois é mãe dele). A heroína, enquanto isso esfrega o chão e recupera a visão ao cair da escada outra vez, empurrada pela maligna furiosa. Chega à Mansão dos Guerrero um misterioso personagem, um bigodudo bonachão que sofre de amnésia. Ao ver a jovem ajoelhada aos pés de Irmã Piedade ele tem um ataque e rola pelo chão. Acode o rapaz Guerrero que ao encarar um quadro da parede reconhece nele o homem desmaiado: é um rico fazendeiro que, na juventude, ajudou o seu pai a fazer fortuna.
A víbora esconde  um colar nas roupas da desvalida a quem, durante uma reunião de Natal de todos os protagonistas, acusa de ladra. Todos se voltam contra a mocinha que esfregava o chão quando o amnésico entra cambaleando na sala e se dirige a ela, murmurando: minha filinha! Antes da palavra fim, o patriarca dos Guerrero une as mãos do filho e da moça enquanto se ouve Julio Iglesias cantando Por Ella. A vilã sai de cena para ir oxigenar os cabelos e ser a mocinha na novela seguinte, breve em nossas casas: De Cuerpo y Alma.
Gente, será que as nossas novelas também são nesse esquema?...
Queridos amigos tchauuuses. Até a próxima postagem. Fui!

terça-feira, 17 de abril de 2012

Carne-seca


A carne-seca, típica do Nordeste do Brasil, também conhecida como charque ou jabá, é um método de conservar carne, em geral bovina, salgando-a e empilhando-a em lugares secos. As mantas de carne são constantemente mudadas de posição, para facilitar a evaporação. Em seguida elas são estendidas em varais, ao sol, até completar a desidratação.Segundo Luís da Câmara Cascudo, a carne-seca pela exposição solar é de origem pré-histórica.

Na verdade preparar esse tipo de carne em casa não vale mais a pena. Dá uma trabalheira danada. Nas Coocerqui de Cerquilho, Boituva, Tietê (em breve na Nova Cerquilho) você encontra ela prontinha é só dessalgá-la e mandar ver nas receitas abaixo e, porque não, em outras que você encontrar. 

CARNE SECA COM MANDIOCA


500 gramas de carne-seca

2 cebolas
1 dente de alho
3 colheres de sopa azeite extra virgem.
sal
pimenta
500g de mandioca cozida e cortada em pedaços 
Modo de Fazer
Primeiramente deixe a carne seca por pelo menos 12 horas em água para dessalgar, neste tempo troque esta água 3 vezes, tire a gordura da carne e leve para cozinhar 20 minutos em panela de pressão ou até que fique macia, deixe esfriar e corte-a em pedaços pequenos.

Em uma panela coloque o azeite, a cebola cortada em tiras e o alho amassado, refogue até as cebolas começarem a dourar, depois acrescente a carne já cortada e refogue novamente muito bem, então é hora de acrescentar a mandioca já cortada e misturar tudo lentamente, colocar pimenta, achar o ponto do sal e deixar tudo tomar gosto.

Estas quantidades servem aproximadamente 3 pessoas com outros acompanhamentos como cervejinha, caipirinha...




Arroz carreteiro com carne-seca

O arroz carreteiro é um prato típico brasileiro que vem de muito tempo fazendo o gosto de todos que apreciam a comida brasileira. O prato é de origem do Rio Grande do Sul, o nome do prato advém de tropeiros que andavam pela região. Os tropeiros andavam junto com os carreteiros e eles preparavam o arroz se tornou popular até hoje em dia. O arroz além de gostoso é muito fácil de preparar. Os primórdios não utilizavam todos os condimentos, hoje em dia há muitas especiarias para que o arroz fique ainda mais saboroso.
A receita é muito fácil e para o fim de ano pode ser um prato especial. Com condimentos que não são difíceis de encontrar e nem são tão caros, o prato se torna ainda mais vantajoso na hora do preparo. Vamos a receita dessa deliciosa refeição extremamente brasileira. Com o fim de ano já perto, um prato especial para que essa passagem seja incrivelmente inesquecível.
Ingredientes
3 xícaras de arroz cru.
5 xícaras (de chá) de água
1 kg de carne seca
3 colheres de sopa de óleo
1 cebola grande ralada ou batida
6 dentes de alho batidos com faca
300 g de bacon cortado em quadradinhos, pimenta-do-reino.
O preparo é fácil deixe de molho a carne seca, picada em pedaços médios, e água que deverá ser trocada a cada quatro horas deixar também a carne repousar uma noite fora da geladeira. Após esse processo coloque a carne em uma água para ferver mais ou menos quarenta minutos, em uma panela de pressão, até que a carne esteja macia.
Caso a carne permaneça endurecida coloque por mais dez minutos na água quente na panela de pressão. A carne já preparada pique em pedacinhos bem pequenos quase que pedaços parecidos com uma carne moída, tire todo o excesso de gordura. Em outro recipiente frite a cebola, o alho, o bacon e por ultimo misture a carne. Depois acrescente o arroz, fritando ele e coloque água veja se o sal está a gosto espere secar a água do arroz e está pronto.

Carne seca na moranga 


1 moranga grande
3 colheres de sopa de óleo
1 kg de carne seca magra
1 cebola
3 tomates grandes maduros
1 pimentão verde
1 pimentão vermelho
1 copo de requeijão
2 dentes de alho
Salsa e cebolinha verde picada
200 g de mussarela fatiada
Sal

Modo de preparar:
Deixe a carne seca de molho em água fria de véspera e troque a água por várias vezes para eliminar o sal. Corte uma tampa da moranga, retire as sementes e reserve parte da polpa. Lave bem a casca e coloque a moranga com a tampa numa panela, cubra com água e sal a gosto. Cozinhe até que esteja macia, mas firme. Escorra e reserve. Retire as sementes dos tomates e dos pimentões e corte em cubinhos. Corte do mesmo modo a carne seca e a polpa da moranga. Pique bem fininha a salsa e a cebolinha verde . Numa panela refogue no óleo, a cebola. Junte a carne seca e deixe fritar um pouco. Junte o tomate e os pimentões e refogue aproximadamente 5 minutos. Junte 2 copos de água quente, cozinhe até a carne amaciar e o molho engrossar. Junte a polpa da moranga picada, a salsa e a cebolinha. Forre o interior da moranga com fatias de mussarela e pedaços de requeijão. Coloque o refogado dentro da moranga, o requeijão e cubra com fatias de mussarela, tampe a moranga. Leve para assar em forno médio (180 ºC), preaquecido aproximadamente 35 minutos. Sirva com arroz.

Ah! A alfavaca é de origem brasileira. Esta planta é geralmente utilizada em molhos e sopas. A alfavaca tem sabor adocicado e é muito parecida com o manjericão, embora suas folhas sejam mais graúdas.

domingo, 15 de abril de 2012

Utilidade Pública


Utilidade Pública...

Com as chuvas constantes que se abatem em várias regiões do Planeta, e com a possibilidade cada vez maior de alagamentos em virtude da inoperância dos governos que pouco fazem para evitar as tragédias provocadas pela natureza, não fique apavorado se estiver no meio de um destes pontos críticos, siga o exemplo.
Mantenha a calma e procure um lugar seguro.

- Brincadeiras à parte. O caso é sério.
 Até a próxima postagem Fui!

sábado, 14 de abril de 2012

Faça sucesso sem ter talento

Faça sucesso sem ter talento. Há décadas para fazer sucesso no meio artístico havia necessidade de muito estudo, anos dedicação e muita sorte. Nos dias de hoje com tanta superficialidade virar ídolo é moleza. Quer ter uma banda estourando a boca do balão basta ser bonito, (muito bonito!) ou então muito feio – daqueles de doer.  Pecar pelo excesso ao se vestir, na maquiagem, nos penduricalhos, nas tatuagens...  Seja mau caráter!. Crie polêmica na mídia e alguém (combinado) para te contestar. Diga que você é vegetariano e coma carne vermelha crua no palco. O povão vai delirar. Se, com esses ingredientes, a Banda não emplacar então encha o palco de mulheres rebolativas – de preferência seminuas. E, se as suas cordas vocais são limitadíssimas não se faça de rogado coloque um playback e figuras estranhas como músicos dando o maior truque fingindo fazer a maior pauleira. Pronto estão aí algumas dicas para fazer sucesso, hoje em dia, sem ter talento.
Estimados amigos, um grande abraço. Fui! 

sexta-feira, 13 de abril de 2012

Bico-de-pena

Tamanho 29x21
Trabalho em bico de pena feito por este blogueiro. Mais informação escreva para respingos@uol.com.br
Caros amigos, tudo na santa paz? Fui!
Ah! seja irreverente. Se fecharem portas; pule janelas.

quinta-feira, 12 de abril de 2012

Bico-de-pena



Tamanho: 29x21.
Trabalho em bico-de-pena feito por este blogueiro. Quem se interessar pelo desenho pode pedir informações pelo respingos@uol.com.br


Olá caros amigos. Tudo na santa paz? Fui!
Ah! Seja irreverente. Caso lhe fechem as portas - pule a janela.